Poesia

Poesia é transformar em palavras sentimentos que vão da alma. É um dom que nos transporta para outras dimensões. E numa destas dimensões duas pessoas se encontraram, firmaram amizade e resolveram se unir neste blog em parceria: Patrícia Pinna e Zilda Oliveira. Convidamos a todos a pensarem conosco, emitirem seus sentimentos,viajarem nesse mundo glorificado de poesia. Ela é libertária, traduz o que sentimos da forma mais ampla, é única. Para nós é muito gratificante levar ao público nosso trabalho elaborado com amor e carinho, neste espaço que é de vocês.Agradecemos o carinho pela presença,assim como a Deus por permitir este blog hoje existir!

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Relógio By Patrícia Pinna/ Zilda Oliveira



A cada dia desnudo-me em emoções
Algumas tão contraditórias que parece não ter sentido
Que sentido procuro
Em minh'alma para justificar tua ausência?
Nada falo e em tudo penso
Vejo-te  em nossa trajetória,
E não encontro motivos para tua partida

Como gangorra está o meu pensamento
Não se estabiliza, apenas eterniza a emoção
Iludindo a batida do meu coração
Tão sonhador e sofredor neste momento!

Quiçá um dia compreenderei a fragilidade
Da tua inconstância humana
Perturbando a si como  nó apertado,
Corrente pesada acoplada ao teu sentimento
Raciocínio não tem clareza, tampouco a firmeza
Para prosseguir saudável,  por isso, fere
E quando sangras, não a ti somente o fazes,
Ignoras o retorno, acha-se imune, o próprio Deus

O relógio do tempo não parou
Minha existência continua sua trajetória
Onde ficaram os sentimentos
Que alimentavam o nosso amor?
Procuro respostas mas o que acho são palavras doces 
Porém vazias no tempo...
Era tudo mentira ou talvez um sonho
Que o relógio ao tocar fez-me despertar?
Despertar para a realidade
Em que procuro um novo e singelo motivo
Para recomeçar

Fora uma mentira, hoje sei,
Apenas quisera acreditar na verdade inexistente
Escondeu para si essa "realidade"
E arrastou o pesado tempo das horas
Exibiu em cada segundo uma frieza
Um descompasso inacreditável
Como uma serpente camuflada entre as muitas folhas
Arrastando-se  lentamente

Olho para o relógio que insiste em marcar sua ausência
E que chama-me para a vida com urgência
Mostrando-me que tudo é  passageiro
Nós também somos
Visto-me de esperança e guardo como lembrança
O nosso amor

Amor este que não mais existe
Ficou no tempo, se transformou
Tua presença e ausência em mim viraram história
Que o tempo não levou.
O relógio mostra-me as horas e eu...
Vou de encontro ao que espera-me
Vou viver!!!


Autoria: Patrícia Pinna / Zilda Oliveira
Imagem: Internet
Vídeo: You Tube



16 comentários:

  1. Uma bela inspiração nesta reflexão amarga sobre o desencontro acelerado pelo tempo que desconhecendo as razões do coração passa como um furacão arrastando o relógio do tempo, que teima em marcar cada instante desta angustia diante dos olhos dos que buscam uma resposta para toda ausência sentida e vivida de um amor que parece ter escapado por uma fresta do sentimento e agora se fragmenta nas voltas da ampulheta do relógio do tempo e quando a ultima porção de areia tomba, ressurge como uma Fênix com um grito de guerra pela vida.
    Uma bela construção romântica sobre o desencanto e uma bela musica ilustrativa.
    Parabéns duplo a vocês com meu terno abraço e beijo paz.
    Linda semana a vocês com belas inspirações.

    ResponderExcluir
  2. Na vida tudo é passageiro, até a própria vida. Não adianta esperar quem não vem.
    O relógio deve impelir-nos a olhar para a frente, a aproveitar cada instante que depressa se faz passado. Guardemos as lembranças, e sigamos em frente.
    Belo poema, Patrícia e Zilda!
    Boa semana.
    xx

    ResponderExcluir
  3. Olá Patrícia,
    Conhecendo e apreciando o espaço de vocês...
    Muito bonito!
    O nosso relógio interior, o do sentir, faz curvas
    na linha do tempo, ficando na memória, o que nos pertence...
    Mas, seguir em frente sempre.
    Viva a sintonia , parceria de vocês!
    Bjos para duas.

    ResponderExcluir
  4. Encontrei seu blog e é uma honra estar a ver e ler o que escreveu, quero felicitar-vos, pois é um bom blog, sei que irá sempre fazer o melhor, dando-nos boas noticias, e bons temas.
    Quero aproveitar a oportunidade para partilhar o meu blog : Peregrino E Servo.
    Vou ficar muito feliz se tiver a gentileza de fazer uma visita ao meu blog.
    PS. Se seguir, fique a saber que irei seguir também seu blog, se o conseguir encontrar.
    António Batalha.
    Parabéns e muitas felicidades.
    http://peregrinoeservoantoniobatalha.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  5. Divas.
    História que o tempo não levou...maravilha!!!!
    É isso mesmo, não paramos o tempo, tudo flui constantemente,
    mas tem histórias que parece que o tempo não leva, ou não deixamos que leve.
    Dupla fantástica, duas maravilhosas poetas
    Duplo presente p nós.
    Que honra poder participar dessa bela inspiração traduzida em poesia.
    Rosa Valverde

    ResponderExcluir
  6. ... como disse o amigo Toninho, bela inspiração...
    Gostei de ler-te, gostei mesmo!

    Boa noite amiga Patricia!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Vim conhecer este maravilhoso cantinho de poesias... Adorei...
    As horas eo tempo...por vezes sem sentido mas há sempre uma luz ao fundo do túnel...a esperança... e eis que tudo muda e a vida sorri novamente quando há a palavra Amor...

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  8. O tempo nao para, as boas lembranças ficam, mas é preciso seguir... lindo poema...

    Parabens as duas...

    Beijos...

    ResponderExcluir
  9. Parabéns às duas! Lindíssima poesia !" beijos,chica( demorando pra aparecer pois temo nos blogs diminui, face a outros probleminhas por aqui;saúde do maridão!)

    ResponderExcluir
  10. Parabéns às duas pelo vosso amor à poesia. A vida é tão breve, amigas. O vosso poema fala dessa angústia... Obrigada pelas pelas palavras deixadas no meu "Ortografia". Virei aqui mais mais vezes.
    Um beijo a vocês.

    ResponderExcluir
  11. Olá Patrícia,

    Estava aqui ouvindo a música e relembrando os bailes da minha época. Boas lembranças. Este momento é uma prova de que há histórias que o tempo não leva.

    Uma linda e melancólica inspiração, muito bem externada em versos. O tempo não pára mesmo e os ponteiros do relógio ficam a mostrar que não vale a pena perder-se em questionamentos sobre o que já foi. A vida urge e recomeçar, viver, sempre será a decisão mais sábia.

    "Olho para o relógio que insiste em marcar sua ausência
    E que chama-me para a vida com urgência
    Mostrando-me que tudo é passageiro
    Nós também somos
    Visto-me de esperança e guardo como lembrança
    O nosso amor..."
    Perfeito!

    Parabéns, poetisas, por mais esta bela inspiração e construção poética.

    Beijos às duas.

    ResponderExcluir
  12. Como sempre, me entusiasmo muito com seus poemas... Esta está fantástico, maravilhoso... Mas que aconteceu coma musica não dá? Logo que gosto de "Andrea Bocelli.

    Beijinhos de boa noite
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  13. Querida amiga ,peço-lhe desculpa só agora estar presente ,mas a partir de agora irei continuar a ler estes belos duos de poesia que tão delicadamente escrevem e tanto me cativam ,muitos beijinhos ás duas no coração.

    ResponderExcluir
  14. Dois encontros de titãs ...duas poetas de almas poderosas que decidiram sabiamente fundir toda suas capacidades poéticas e como resultado , um blogger poderosamente escrito por duas iluminadas divãs !Gigantes !!!!

    " Nada falo e em tudo penso " O passar do tempo é um pingo no oceano em comparação ao turbilhão de pensamentos que existe no meu ser , na minha vida e os meus olhos lacrimejando , já brilhando,enxerga uma triste partida do marinho em seu navio.As ondas tão inconstantes como a fragilidade humana e a Dona não entende a partida do marinheiro ...e ao olhar neste horizonte infinito ela pensa: o que o vento me trará ?
    Sabedora que o relógio não parou ela continuar a caminhar, sentindo dor,sentindo dor que apena só tempo curará , será ? Sim !Recomeçar é viver é estar viva novamente , em paz consigo ( coração e mente ). O marinheiro se foi mas a dona do navio é você, cara Dona; Ele não sabe mas todo poder que hoje ele tem nasceu de ti e tu enviastes a este homem todo amor existentes nos ponteiros( a água doce ora se confundi com a água salgada , porém agora tudo é sal). Por isso ele aprendeu a ser feliz e está convicto que a felicidade o abraçou quando que a Dona assoprou toda felicidade ao destino do marinheiro .E ao assoprar, ela perdeu um pouco do seu próprio mar ...o relógio transformou-se ....o marinheiro não retribuiu e guardou consigo este poder mas esqueceu que o tempo, que o relógio , que o destino conspira a favor de quem tem o coração de deusa do mar. E como tudo é passageiro , sabemos que este seu mar de deusa se regenerá . Pois , a cada minuto é o teu coração que bate mais forte, a cada hora é um novo ciclo e a cada vinte quatro horas estás pronta para amar e ser amada ,poderosamente como o mar . Irás ao encontro ao que te espera...irás sempre recomeçar.

    Bravíssimo , poetas !!!!

    ResponderExcluir
  15. É muito lindo a forma como vocês escrevem
    Fico muito feliz da parceria de vcs.
    Parabéns!!! Vocês merecem o melhor dessa terra!! Vocês respiram poesia e passa esse amor pros seus leitores através de palavras que nos emocionam e nos deixam sem fala!!
    Parabéns as duas e bjss nas duas tbm.

    ResponderExcluir

É sempre interessante quando o leitor deixa a sua opinião sobre a obra
poética com sinceridade e respeito.
Somos pessoas livres,podemos e devemos nos expressar de tal modo.
Portanto, que a liberdade seja uma constante sem esquecer jamais do bom senso!

Gratas pelo carinho, voltem sempre!

Divas da Poesia